A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

27 de fevereiro de 2013

A arte imita a vida


 
“Sou o promotor. Represento o Estado. Aqui estou para lhes apresentar as provas de um crime. Juntos, vocês vão avaliar essas provas. Vão deliberar a respeito. E decidirão se confirmam a culpa do réu.
(...)
Hoje vocês, todos vocês, assumiram uma das mais solenes obrigações da cidadania. Têm a incumbência de descobrir fatos. A verdade. Não é uma tarefa fácil. Sei disso. As memórias podem falhar; as lembranças podem ser enevoadas. As provas podem apontar para direções divergentes. Vocês podem ser forçados a decidir sobre coisas que ninguém parece saber ou está disposto a contar. Se estiverem em casa, no trabalho, em qualquer lugar da vida cotidiana, poderiam sentir o impulso de levantar as mãos em desistência, poderiam não querer fazer o esforço. Mas aqui devem fazê-lo.
E devem mesmo. Deixem-me lembrar a vocês. Houve um crime real. Ninguém vai contestar isso. Houve uma vítima real. Dor real. Não precisam nos explicar por que aconteceu. Afinal, os motivos das pessoas podem permanecer para sempre encerrados dentro delas. Mas devem, no mínimo, tentar determinar o que de fato aconteceu. Se não puderem, não saberemos se este homem merece ser libertado... ou punido. Não teremos a menor ideia de quem culpar. Se não pudermos descobrir a verdade, qual será nossa esperança de justiça?”
(TUROW, Scott. Acima de qualquer suspeita. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011, p. 07/08)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)