A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

29 de março de 2008

Barbárie e Autofagia


Prof. Dr. João Ricardo Moderno

Publicado no jornal O Dia em 24/03/2008


A Civilização Brasileira é uma utopia. A cultura brasileira é uma realidade. A grande tarefa do povo brasileiro é transformar a cultura em civilização. Civilização e barbárie são as duas faces da moeda. A barbárie cresce na medida em que a cultura não consegue impor-se como civilização. Todas as civilizações trazem em seu seio a sua negação, o seu outro. A civilização é aquela cultura que conseguiu impor limites estreitíssimos à barbárie, sempre nas brechas para tentar progredir a crueldade.

O mito da cordialidade do brasileiro acabou. Somos uma sociedade cruel. Estimativas por mim levantadas em O DIA foram confirmadas pelas instituições de pesquisa: mais de 1 milhão de assassinatos oficialmente registrados nos últimos 30 anos, com a quase totalidade nos últimos 25 anos. E os não registrados? Certamente centenas de milhares. Qual país matou tanto? Um autogenocídio. Estamos devorando a própria carne, uma autofagia coletiva. Uma antropofagia nacional.

O faz-de-conta de que somos civilizados impede que sejamos de fato civilizados, pois não são tomadas medidas civilizatórias, e a inércia é como resultado de um gás paralisante. Todas as políticas públicas de segurança fracassaram. A cultura da morte impede a construção de uma civilização nos trópicos.

Todos os caminhos levam à morte. Todos os argumentos sociais, políticos, econômicos, científicos, filosóficos, ideológicos e culturais acabam por colaborar com o elogio da morte. Para o direito de matar é usado até mesmo o discurso da bondade, como no caso das células-tronco embrionárias, pois o homicídio é sempre o caminho mais curto para resolver os problemas do mundo. A crueldade está no poder.

* O prof. Dr. João Ricardo Moderno é presidente da Associação Brasileira de Filosofia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)