A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

29 de maio de 2015

A voz da vítima no Júri


SONHOS

(Edilberto de Campos Trovão)

Sonhei sonhos que não vivi,
muito cedo,
deste mundo parti...
Morri.
Sonhei sonhos que não vivi,
Sonhos abortados,
ainda em pensamentos.

Nunca fui exigente,
E confesso:
Estava até contente
com o pouco que a vida me dava.
Mas, até aquele pouco
me foi negado
Meus sonhos eram pequenos:
queria, como todos querem,
morrer de morte natural,
Não desta forma,
cruel,
violenta,
covarde,
brutal.

Queria envelhecer,
Realizar sonhos sonhados,
E,
por que não?
Cometer até alguns pecados,
Como todos cometem.

Eu queria viver uma vida normal,
igual a sua,
igual a de qualquer mortal.

Eu estou aqui,
neste Plenário
E você não me vê
(e nem precisa,
pra quê?)
Basta que você sinta
que eu estou aqui.
Basta que você saiba que eu fui
julgado,
condenado,
executado,
por um crime que não cometi.

Quero,
Espero,
um julgamento
com o mesmo instrumento
de quem me condenou:
Não só com o Código Penal,
Mas, também, com a mesma lei
Violenta,
Brutal,
Lei animal.

Pedem clemência,
para quem foi intolerante;
Benevolência,
para quem não foi benevolente;
Piedade;
para quem foi impiedoso;
Pena mínima,
para quem me condenou
à pena máxima;
e executou a pena de morte.
Que a pena seja cumprida em liberdade,
quando eu,
para a eternidade,
estou preso neste túmulo.
Pedem justiça,
para quem foi injusto.
Pedem, enfim, tudo para meu carrasco,
quando ele de mim retirou tudo o que nunca tive.

Jurados:

Não quero piedade para minha sorte,
Quero...
Exijo...
Requeiro...
Justiça pela minha morte.

(TROVÃO, Edilberto de Campos. Reflexões de um aprendiz de Promotor de Justiça no Tribunal do Júri. Curitiba: JM Editora, 2005, pp. 302-04.)


2 comentários:

Vanessa Alvea disse...

Perfeito!

Unknown disse...

Genial!

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)