A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

30 de abril de 2010

O fim da palmada?


A Europa debate uma lei para proibir os pais de bater nos filhos; franceses e ingleses resistem em banir o tapa no bumbum.

ARGUMENTOS PARA PROIBIR

>>Palmadas violam os direitos da criança à integridade física e à dignidade. Se não é legal dar um tapinha em um adulto, então em uma criança também não é.

>>A prática de bater pode deixar sequelas graves: estudo americano com 2.500 mães mostra que crianças educadas com palmadas tendem a se tornar mais agressivas do que as que não foram.

>>As crianças entendem que a violência é uma forma aceitável de resolver um conflito.

>>Há dúvidas sobre a eficácia da palmada para disciplinar crianças.


ARGUMENTOS CONTRA A LEI

>>Os governos não devem se meter na maneira como os pais educam os filhos.

>>A atual legislação já é suficiente para punir pais que espancam os filhos.

>>A melhor forma de evitar castigos físicos seria com campanhas educativas, não por meio de lei.

>>A geração que tem filhos agora e as anteriores foram,na maioria, criadas sob a premissa de que uma palmada eventual é aceitável em casos de excessos dos filhos. A questão é como impor os limites.

Fonte: Conselho da Europa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)