A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

22 de dezembro de 2009

Ano Novo: Feliz e Infeliz!


"Entra ano, sai ano, e o Brasil dos poderosos segue sendo movido pelos piores e mais nefastos combustíveis que energizam a vida pública: a corrupção, a violência, o favorecimento, o corporativismo, a roubalheira, a falta de ética, o desrespeito às leis e a impunidade.

Agregado a tudo isso, a omissão e a leniência do eleitor, associadas à pirotecnia promovida pelos governos, aos absurdos gastos com propaganda e aos discursos vazios e populistas, só tendem a perenizar todo esse processo, que acaba levando uma grande nação a ser literalmente dominada por famílias, feudos e oligarquias, tanto de caráter privado como público.

A pergunta que fica: até quando?

De qualquer maneira, desejo um feliz ano novo, com muita paz e alegria, para o Brasil e os brasileiros, para todos aqueles que ainda acreditam num país melhor, que trabalham duro e honestamente, que lutam com o objetivo de ir ao encontro do desenvolvimento e do crescimento, da igualdade e da justiça e, principalmente, da liberdade e da democracia.

Por outro lado, sem nenhum remorso, desejo um infeliz ano novo a todos os que insistem em beneficiar-se em detrimento de um povo e de um país, utilizando dos mais reprováveis e desonestos artifícios para obter vantagens pessoais." (DAVID NETO)

Fonte: Jornal "A Folha de S. Paulo" (Seção "Painel do Leitor") de 17/12/2009.

2 comentários:

Vellker disse...

O cronista David Neto escreve de uma forma bem direta ao desejar esse ano infeliz aos que fazem a nação brasileira infeliz há muito tempo.

Porém, tendo em vista o que é feito com o povo, somente um ano infeliz é apenas um transtorno passageiro. Chegamos em um daqueles momentos históricos onde o ano, para gente assim, tem que ser o último.

Robespierre, o mais radical da revolução Francesa era temido pelo uso que fazia da guilhotina contra os que ele julgava inimigos da nação francesa. Tivesse Robespierre desencadeado essa revolução no Brasil, com certeza ele seria mais fervoroso e trabalharia bem mais por esses trópicos brasileiros.

Quanto ao eleitor ele não é leniente nem omisso. Apenas está numa situação de absoluta impotência, sem saída, participando a cada período eleitoral de um ritual de hipocrisia e pilhagem, onde ele é a vítima, uma espécie de refém político, de vítima social.

E que no seu devido tempo, tomando consciência de sua situação numa escala nacional, mas com uma idéia mobilizadora, derrubará esse poder corrompido, do qual por ora é refém.

O cronista e seus leitores verão que entre desejar um ano infeliz sem remorso ou uma guilhotina não vai muita diferença. Apenas decisão.

Hugo Dias Perpétuo disse...

Entre sonhos e utopias.

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)