A vida só tem um sentido, e o único sentido que a vida tem é quando investimos nossa vida na vida dos outros, ou quando encarnamos a luta dos outros como se ela fosse nossa, a luta do coletivo. Esta é a lida do Promotor de Justiça: lutar pela construção contínua da cidadania e da justiça social. O compromisso primordial do Ministério Público é a transformação, com justiça, da realidade social.


Pesquisar Acervo do Blog

Seguir por E-mail

Seguidores

25 de janeiro de 2008

O Paulistano e o MP


SÃO PAULO, 454 ANOS / PESQUISA

Bombeiros são "heróis"; vereadores, "vilões"

Segundo pesquisa do Ibope, 95% dos paulistanos confiam no Corpo de Bombeiros e 68% não confiam na Câmara Municipal

Prefeitura está entre as instituições que mais contribuem para melhorar a vida na cidade, embora seja vista como pouco confiável


MARIANA BARROS
DA REDAÇÃO

A aura de heroísmo que cerca os bombeiros se mostrou bastante sólida -pelo menos entre os paulistanos. Segundo a pesquisa Viver em São Paulo, feita pelo Ibope e apresentada ontem, junto com os indicadores do Observatório Cidadão Nossa São Paulo, o Corpo de Bombeiros é a instituição que mais inspira a confiança de quem mora na capital paulista: 95% crêem no órgão.

No outro extremo, a Câmara Municipal desponta como a instituição menos confiável de São Paulo, segundo os próprios habitantes. Dos 1.512 entrevistados, 68% têm um pé atrás com o legislativo municipal, em que apenas 27% confiam.

Quando questionados sobre quais são as instituições que mais contribuem para melhorar a qualidade de vida na cidade, a Câmara Municipal obteve resposta unânime: não foi apontada em primeiro lugar por nenhum dos entrevistados.

Falta de popularidade semelhante é compartilhada pelos partidos políticos, que também, segundo a visão dos paulistanos, não contribuem para melhorar a vida de ninguém.

Já o governo federal e a Igreja encabeçam o ranking das instituições que mais trazem melhorias à vida dos cidadãos, segundo 11% dos entrevistados. Em seguida, com 9% das menções, vem a prefeitura, seguida por universidades (8%), meios de comunicação (7%) e associações de bairro (6%). Quando somadas as menções de primeiro, segundo e terceiro lugares , a Igreja aparece como a mais lembrada, com 27% -número que, entre os evangélicos, sobe para 48%. A prefeitura e os meios de comunicação empatam com 22%, seguidos pelas universidades (20%), pelo governo federal (19%) e pelas associações de bairro (17%).

"Queridinhos"

Depois do Corpo de Bombeiros, os Correios estão em segundo lugar entre os "queridinhos" dos paulistanos, inspirando confiança de 91%. Também têm alto índice de confiança a Sabesp (81%), o Metrô (80%) e o Procon (77%).

Entre as instituições menos confiáveis, depois da câmara, vêm o Tribunal de Contas do Município (62%), o Ministério Público (57%), o Poder Judiciário (56%) e, curiosamente, a prefeitura (54%) -apesar de esta aparecer em segundo lugar entre as instituições que, segundo os paulistanos, mais contribuem para a qualidade de vida na cidade.

Folha de S. Paulo, 25/01/2008.
(Íntegra da pesquisa no sítio nossasaopaulo.org.br).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atuação

Atuação

Contra a Corrupção

Dicionário

iDcionário Aulete

Cartilha do Jurado

Cartilha do Jurado
Clique na imagem. Depois de aberta, clique na parte inferior direita para folhear.

Você sabia?

Você sabia?

Paradigma

O Ministério Público que queremos e estamos edificando, pois, com férrea determinação e invulgar coragem, não é um Ministério Público acomodado à sombra das estruturas dominantes, acovardado, dócil e complacente com os poderosos, e intransigente e implacável somente com os fracos e débeis. Não é um Ministério Público burocrático, distante, insensível, fechado e recolhido em gabinetes refrigerados. Mas é um Ministério Público vibrante, desbravador, destemido, valente, valoroso, sensível aos movimentos, anseios e necessidades da nação brasileira. É um Ministério Público que caminha lado a lado com o cidadão pacato e honesto, misturando a nossa gente, auscultando os seus anseios, na busca incessante de Justiça Social. É um Ministério Público inflamado de uma ira santa, de uma rebeldia cívica, de uma cólera ética, contra todas as formas de opressão e de injustiça, contra a corrupção e a improbidade, contra os desmandos administrativos, contra a exclusão e a indigência. Um implacável protetor dos valores mais caros da sociedade brasileira. (GIACÓIA, Gilberto. Ministério Público Vocacionado. Revista Justitia, MPSP/APMP, n. 197, jul.-dez. 2007)